os tribunais confirmaram que a fibromialgia é vital para declarar uma incapacidade permanente. Compartilhe este artigo

A declaração refere-se a um caso de uma mulher que sofreu uma imagem recorrente de depressão maior sem sintomas psicóticos de natureza grave, dor de garganta e processo degenerativo sem afetar a raiz, fibromialgia e síndrome da fadiga crônica.

Em sua decisão, o Supremo Tribunal da Catalunha jurisprudência enfatiza fixação do LGSS atrás sobre a deficiência, que afirma que “avaliação permanente deficiência deve ser feito em resposta derivadas principalmente das limitações funcionais do sofrimento dos trabalhadores.”

Uma câmera, deficiência deve ser entendida como a perda da capacidade de reduções anatômicas ou funcionais graves que reduzem ou anulam a capacidade de trabalhar e não inibe a gama pode recuperar a capacidade de trabalhar, quando presente como incerto ou muito longo prazo .

Isto é, não só deve reconhecer quando não tem possibilidade física para qualquer trabalho profissional, mas também quando ainda manter as habilidades necessárias para executar alguma atividade, não tem que fazer isso com eficiência mínima devido ao desempenho de qualquer trabalho, mesmo simplesmente exigiu um requisitos de programação, movimento e interação, bem como cuidado e atenção.

Os pacientes devem formar uma imagem que a doença “impede a execução adequada de todos os tipos de trabalho, incluindo a natureza sedentária e tarefas leves que não requerem a execução de um particularmente intenso esforço físico.”
“Hoje é afetada por sério natureza grave doença que ocorre com o suficiente para cancelar a sua capacidade para o trabalho, que outras doenças degenerativas são adicionados intensidade , “disse o gerente.

O requerente tem a mais recorrente sem sintomas psicóticos de natureza grave, dor de garganta e processo degenerativo sem afetar a raiz, fibromialgia e depressão síndrome da fadiga crônica.

Portanto, o TSJC negou provimento ao recurso interposto pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) contra a decisão já entregue no Tribunal de Girona, em 2013. 1 Emprego
situação IPA de um educador social com fibromialgia e síndrome da fadiga crônica
Câmara social do Supremo Tribunal de Catalunha, no seu acórdão n.º 1403/2015 de 24 de Fevereiro (Rec. 6239/2014) também disse que a situação do IPA por todo o trabalho de um educador social com fibromialgia e síndrome da fadiga crônica, confirmando o acórdão do Tribunal de trabalho e negou provimento ao recurso pelo Instituto Nacional do Seguro social.

Educadora- pago trabalhador serviços sofreu síndrome da fibromialgia muito avançada e fadiga crônica, grau III, juntamente com doença crônica depressivo, transtorno cognitivo leve e antevenido antepino síndrome do túnel, entre outras doenças.

Considere a casa e só pela gravidade da fibromialgia e fadiga crônica, o grau sofreu, deve-se reconhecer que, mesmo com o conhecimento necessário para executar alguma atividade não tem autoridade real para terminar o trabalho com alguma eficácia.

São doenças que causam dor, prejudicar gravemente a capacidade produtiva em termos de desempenho, capacidade e eficiência, sem ser capaz de fazer o trabalho de luz simplesmente não refutar a invalidade gostava de tais permanente e absoluta.

Ao estabelecer o LGSS feita em invalidez total permanente é uma lei que tem sido responsável por notar que um grau de deficiência não só deve ser reconhecida quando não tem possibilidade física para qualquer trabalho profissional, mas também onde a manutenção de habilidades executar alguma atividade que você não tem que com uma eficiência mínima como o desempenho de qualquer trabalho, embora simples, requer requisitos de programação, movimento e interação, bem como cuidado e atenção.
A deficiência deve ser entendida como a perda da capacidade de grave anatômica ou funcional para reduzir ou abolir a capacidade de trabalhar e inibição não qualificados a capacidade de recuperar a capacidade de funcionar quando apresentado como reduções incertos ou muito longos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *